­
telefone
239 087 720
Carrinho vazio
Habitar Como Poética: Percurso Plástico e Conceitual a partir da obra de Alberto Carneiro e de Pedro Cabrita Reis.
Coleção Prosas d'Artes Várias
Género Teoria da Arte. Filosofia da Arte. Arte em geral.
Ano 2016
ISBN 9789897031465
Idioma Português
Formato e-book
9,54 €
Descrição

Esta obra é fruto da Tese de Doutoramento em Arte Contemporânea, apresentada à Universidade de Coimbra em 2015.
Tem por objetivo uma investigação na obra de dois artistas plásticos portugueses: Alberto Carneiro e Pedro Cabrita Reis.

Habitar como poética: percurso plástico e conceitual a partir da obra de Alberto Carneiro e de Pedro Cabrita Reis traz à tona não só uma investigação desse habitar na obra de um e de outro, mas também, sob a forma de uma reflexão, do meu habitar em um outro país, a pensar e pesquisar o habitar de cada um desses artistas. Trata-se então de investigar suas influências, para detectar na obra de cada um deles o traço que os torna singulares, lembrando sempre que o traço – leia-se o estilo – é sempre o resultado da transformação de muitas afinidades que, depuradas, o sujeito torna suas.
'O caminho da arte faz-se caminhando'. Movida nessa direção, fui também levada a refletir sobre meu próprio trabalho, que se constituiu inicialmente por caminhadas. Para mim, caminhar é sempre uma oportunidade para o exercício do olhar, para o exercício de deixar ver o que me rouba a atenção e o que é capaz de me deter. Uma caminhada em que, como um flaneur, esqueço de mim mesma, deixando-me capturar pelo mais banal que atravessa meu caminho. De repente, alguma coisa me chama; passo por ela e, muitas vezes, tenho de voltar. Cotidiana caminhada. Restos que recolho, às vezes sem saber por quê. Formas, pedaços pequenos dos mais variados materiais, detalhes, pequenos detalhes. Restos que recolho nessa caminhada e que no atelier vão tomando outro caminho, outra direção. Quando chego ao atelier e coloco-os ali, os objetos passam a configurar outro espaço. Assim fazendo, são os objetos que reconfiguram o espaço. O espaço passa a ter outro sentido a partir deles. É o lugar onde se inscreve a passagem dos dias e das horas.
Então, com estes quatro vetores – (i) o caminhar de minha vida neste momento específico, (ii) a obra de Alberto Carneiro, (iii) a obra de Pedro Cabrita Reis e (iv) meu fazer em arte – constituiu-se uma vivência. E é sobre ela que escrevo, tentando extrair dela uma experiência, para relatá-la de forma organizada, inteligível para mim e para meus interlocutores. Evidentemente, uma reflexão dessa natureza constitui, por si só, um campo geométrico muito especial para marcar os parâmetros de um espaço de reflexão.

Excerto de: Claudia Tamn Renault. “Habitar Como Poética: Percurso Plástico e Conceitual a partir da obra de Alberto Carneiro e de Pedro Cabrita Reis" — ebook.

Índice

1 Introdução: o Habitar como Poética
2 A natureza sonha nos meus olhos desde a infância
3 O artista, um intelectual que guarda com suas mãos o que pensa com seus olhos
4 Um caminho: o objeto
5 Diário: relato de uma experiência – experiência de um relato, um projeto artístico em estado bruto
5.1 Por que cato coisas
5.2 Diário
6 Conclusão
7 Fontes e referências bibliográficas
8 Notas

­

Em caso de litígio, o consumidor pode recorrer ao Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo do Distrito de Coimbra, com sítio em www.centrodearbitragemdecoimbra.com e sede em Av. Fernão Magalhães, Nº. 240, 1º, 3000-172 Coimbra
Este site utiliza cookies. Ao navegar neste site está a consentir a sua utilização. Consulte as condições de utilização e a nossa política de privacidade.
copyright 2016-2019 Palimage | Terra Ocre, Lda. | Portugal | Todos os direitos reservados