­
telefone
239 087 720
Carrinho vazio
Pedaços de História Local (2 volumes)
Fora de Coleção - História
Género História
Ano 2010
ISBN 978-989-703-001-7
Idioma Português
Formato brochura | 1060 páginas | 17 x 24 cm
Preço base com taxas
Preço Venda36,00 €
Descrição PUBLICAÇÃO EM CO-EDIÇÃO COM CHSC - CENTRO DE HISTÓRIA DA SOCIEDADE E DA CULTURA - ( http://www.uc.pt/chsc ) «A História Local desenvolveu-se muito nas últimas quatro décadas [...]. Os historiadores profissionais chamaram-na a si, sem perder a benfazeja feição dos que amam a pátria local, sentimento enraizado de pertença a uma comunidade que se estuda como se pode ou como se sabe. Saber hoje adquirido cada vez mais no ensino superior, caminhando-se para o entrosamento das novas competências com o natural gosto pela investigação do espaço local [...]. A Constituição Política de 1976 modelou o poder local [...] como espaço de intervenção democrática, buscando as origens e o seu desenvolvimento. O reacender dos afectos de que os homens se mostram tão carentes, pode tentar-se, precisamente, pela vivificação de um certo poder local, criador de círculos de sociabilidade através da participação nas coisas públicas. Numa república local não há apenas a gestão camarária, mas a cidade viva, a que constitui, afinal, a república». Considerações prefaciais assumidas no desenvolvimento dos primeiros textos do volume, uma teoria antes de entrar numa localidade, a cidade de Coimbra, na qual se percorrem ruas simbólicas como a dos encantos de Sofia, se adentra nas estruturas sociais e se assiste a conflitos de uma urbe diversa, nomeadamente ao tempo dos cristãos-novos e da adesão da cidade a D. António, rei de Portugal, ao mesmo tempo que se vão encontrando poderes locais como os da Misericórdia, da Câmara e da Universidade nos séculos XVI a XVIII. No horizonte envolvente, uma reflorestação quinhentista. Se Coimbra, cidade, pode ser representada por uma figura feminina de estirpe régia, a Coimbra Universidade, com «coerência e coesão» urbana, é simbolizada pela imagem de um estudante universitário. A imagética estudantil, com efeito, une os textos deste segundo volume que sobretudo representa o caminho do quotidiano escolar «ao exercício de uma profissão, nomeadamente a docência. Leituras ouvidas, leituras pestanejadas à luz do candeeiro ou da vela, prolongamento do alvorecer do dia laborioso. Leituras ou escritas sonhadas, pensadas, ditas e fixadas com auxiliares ou não [...]. Percurso difícil, o de estudante e o de professor, com muitas encostas a trepar. Não apenas as da topografia, a caminho do Paço das Escolas. Era aqui, em termos simbólicos, que se devisava o futuro todo [...]. A começar pelo dos saberes de então, incluindo o saber histórico que aparece curricularmente organizado de novo dentro de uma nova Faculdade a seguir a uma revolução. Foi há cem anos». Nela participou, da génese à consolidação, como estudante, como militar e como amante da história local, o coronel Belisário Pimenta, doador à Universidade do seu espólio literário. Dele se traça uma biografia emotiva. «O estudante, que se tornou graduado, reencontra o estudo da História, uma vez tirada a veste do ofício. Com toda a força dos começos, onde tudo se resolve em tenra idade», como se escreve no prefácio.
­

Em caso de litígio, o consumidor pode recorrer ao Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo do Distrito de Coimbra, com sítio em www.centrodearbitragemdecoimbra.com e sede em Av. Fernão Magalhães, Nº. 240, 1º, 3000-172 Coimbra
Este site utiliza cookies. Ao navegar neste site está a consentir a sua utilização. Consulte as condições de utilização e a nossa política de privacidade.
copyright 2016-2019 Palimage | Terra Ocre, Lda. | Portugal | Todos os direitos reservados