­
telefone
239 087 720
Carrinho vazio
Sarzedas nos Forais de 1212 e 1512
Fora de Coleção - História
Género História
Ano 2012
ISBN 978-989-703-038-3
Idioma Português
Formato brochura | 176 páginas | 24 x 24 cm
Preço base com taxas
Preço Venda21,20 €
Descrição Livro Publicado em co-edição com o CHSC – Centro de História da Sociedade e da Cultura (Univ. Coimbra) – ( http://www.uc.pt/chsc ) (Capa dura; ilustrado) No conjunto de artigos publicados, por deferência, no semanário“Reconquista”, apresentámos algumas sugestões para, colectivamente,rememorarmos (“comemorarmos”) dois actos importantes para os Sarzedenses (e não só). Estamo-nos a referir à concessão, em 1212, do Foral Antigo (também designado “Foral Velho”) a Sarzedas e à reforma a que o mesmo diploma foi sujeito em 1512, vazada no designado “Foral Novo ou Manuelino”. O presente estudo, intitulado “Sarzedas nos Forais de 1212 e 1512”, tem, pois, por objectivo principal transcrever os dois monumenta escritos e divulgá-los mais, pelo que, no caso do “Foral Velho”, se procedeu, também, à revisão da sua tradução. Fomos, contudo, mais além. Cotejando as substâncias dos dois diplomas e complementando-as pelo recurso a outra documentação, incluindo o contributo da memória oral e da arqueologia actual, julgamos ter conseguido esclarecer melhor o percurso histórico de Sarzedas entre 1212 e 1512. Aos olhos dos observadores de 2012, o esforço dos Sarzedenses daqueles séculos continua a constituir um desafio. Por razões várias, mas, em alguns domínios, o crescimento e o desenvolvimento das terras e das gentes de Sarzedas esmoreceram, pelo que volta a ser necessário «restaurar e repovoar Sarzedas». Como em 1212 e 1512, com certeza que não, pelo que se impõe um debate de ideias para encontrarmos soluções. Este estudo insere-se no projecto “ História da Região Centro” de Portugal, que o Centro de História da Sociedade e da Cultura, da Universidade de Coimbra, vem concretizando desde há anos e que, pela sua finalidade, justifica esta proveitosa e gratificante parceria com o Poder autárquico, neste caso com a Câmara Municipal de Castelo Branco e com a Junta de Freguesia de Sarzedas. Páscoa de 2012 João Marinho dos Santos (da introdução)
­

Em caso de litígio, o consumidor pode recorrer ao Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo do Distrito de Coimbra, com sítio em www.centrodearbitragemdecoimbra.com e sede em Av. Fernão Magalhães, Nº. 240, 1º, 3000-172 Coimbra
Este site utiliza cookies. Ao navegar neste site está a consentir a sua utilização. Consulte as condições de utilização e a nossa política de privacidade.
copyright 2016-2019 Palimage | Terra Ocre, Lda. | Portugal | Todos os direitos reservados